quarta-feira, 11 de julho de 2012

Recomeçar





Falo meio torto,
Nesta vida meio sem jeito.
As vezes me sinto morto,
Sem nada batendo no peito.

Sem ter porque seguir.
Sem ter por onde pisar.
Indo só por ir,
Olhando sem enxergar.

Vou como poeira,
levada pelo vento.
No pensamento alguma besteira,
Sem nada no contentamento.

Na boca palavra calada,
Sem ter a quem a ouvir.
Caminho durante a madrugada,
Por não conseguir dormir.

O futuro é incerto,
não é fácil apagar.
Não ter alguém por perto,
É como se matar.

Um novo dia despertar,
É o que se quer no momento.
Prosseguir sem achar,
Indo no andar do vento.

Renovar,
Com o que vem por ai.
Encontrar,
E levantar quando cair.

Nenhum comentário: