sábado, 28 de julho de 2012

Loucura Eterna




No meu mais louco sonho,
Um dia te amei.
A toda as loucura transponho,
Para voar como voei.

Foi encanto, foi poesia,
Quando em teu corpo naveguei.
Era tudo fantasia,
Neste sonho que sonhei.

Nos meus olhos se lia,
Até que enfim te achei.
Não tinha noite, não tinha dia,
Eram só uma rainha e um rei.

Deitados no vento,
Fomos este embalo traçar.
Nem em vão pensamento,
Pensaríamos em acabar.

Em desejos nós bordamos,
Uma história para ficar.
E por mais que passem anos,
Ela nunca vai se apagar.

O quarto era nosso altar,
Não existia solidão.
A tudo era só imaginar,
Que acontecia no coração.

Bebi na tua boca,
Embriaguei-me no teu corpo.
Era tanta coisa louca,
Que esqueci o que era pouco.

Perdidos entre sonho e loucura,
Cegamos em tanto prazer.
A vida que era tua,
Foi embora ao entardecer.

Nos vestimos com negro véu,
Caminhamos em noite escura.
Virei eterno réu,
De minha própria loucura.

Nenhum comentário: