domingo, 29 de junho de 2014

Era um sonho




Era um sonho,
Que vivia em mim.
Não tinha tempo nem dono,
E depois te perdi.

Do amor que queimava,
Somente brasa restou.
E o fogo que não acabava,
Um dia se apagou.

Te amei com todas as forças,
Que ainda eu tinha.
E morri em mil forcas,
Em mil nós de fantasia.

Não mais poderia,
Manter esta vida.
Morria de noite e de dia,
Se o amor esvazia.

E o sonho que tudo era,
Não mais me falava.
Me deixando na espera,
Partiu na madrugada.

Existe como sombra,
De um passado infindo.
Explode como bomba,

Neste peito faminto.

Nenhum comentário: