sábado, 10 de julho de 2010

Solidão




Tem horas que tudo vira.
Tem horas que tudo embola.
A alma do corpo fica sumida.
O coração se esfola.

No olho, o tempo muda,
Nem te deixam enxergar.
Só muita arruda,
Prá desta fase me tirar.

A vontade que dá é sumir,
sentar na praia sozinho.
Deixar o olho embaçar,
esquecer o desalinho.

Mas quem liga prá esta dor?
Quem quer saber dela?
Todos tem de sua vida dispor.
Só tolos caem nesta esparrela.

E como tolo que sou,
Nela eu caí.
Brigo para sair dela.
Brigo para dela sumir.

Brigo para ela entender.
Brigo para nela não sucumbir.
Brigo para ela compreender.
Brigo para dela não desistir.

E solitário sigo,
Nos caminhos que me vem.
Correndo todos os perigos,
Mas buscando sempre além.



4 comentários:

Magia da Inês disse...

Olá, amigo!
Estou lendo a poesia...
Sempre linda!...
Um ótimo fim de semana!!!
Só paz e alegrias!...
Beijinhos.
Itabira
Minas

Eliana Pessoa disse...

OI MEU AMIGO OLDER
HOJE TÓ TRISTE FAZ 3 MESES QUE PERDI MEU QUERIDO IRMÃO MAIS VELHO SUBTAMENTE SEM TEMPO PARA DESPEDIDAS!
MAS ACHEI LINDO SEU POST SOBRE SOLIDÃO!
BEIJO BOA NOITE!

Cris disse...

Ai Older...ando meio capenguenta....rs
Acho que há uma nuvem de amargura passando sobre nós....rs

Um beijo e um começo de semana com mais serenidade no seu e no meu coração.

beijo grande, Querido!

Jou Jou Balangandã disse...

E tem horas que o mundo realmente parece que vira de ponta cabeça. Nossos blogs e sentimentos estão em sintonia.

Bjous