terça-feira, 27 de julho de 2010

Desejos

Desejos vãos,
Desejos vem.
Desejos vãs,
Desejo quem?

Não queria dureza da rocha
e nem o vazio do léu.
Desejo o infinito horizonte
Que nunca acaba no céu.

Desejo o frio da manhã
Que logo o sol vem esquentar.
Me deito em leito de marfim
Para meu corpo descansar.

Os desejos borbulham
em minha mente,
Como pipoca, pulando
na panela quente.

Pululando sem parar,
Saindo pela janela.
Criam imagens a vagar
E eu viajando nelas.

Fiquem aqui um pouco
E não se vá de repente.
Desejo não ficar louco
ou não perder o controle da mente.

Um comentário:

brisonmattos disse...

e eu desejo te ver mais calmo...mais confiante em voce mesmo e nos seus sonhos.Desejo que seja feliz.