sábado, 3 de julho de 2010

Compondo




Quero escrever uma poesia bem erguida,
que cure as feridas na vida.
Que seja bem nascida,
E não fruto de uma despedida.

Que rompa o marasmo,
que não tenha asco.
Que até seja um fiasco,
mas que me tire da beira do penhasco.

Que nela, até um pouco se minta,
Mas que dela muito se sinta.
Que seja uma poesia distinta,
e não uma feita as pressas, poesia de quinta.

Pode até ser banal.
Uma poesia, afinal,
Tem de ser artesanal,
Quase que acidental.

Que tenha um conto de sonho,
Uma emoção bailando no ar.
Seja algo que componho
E que espero, nunca irá acabar.

Que assim simples, seja.
Que seja bem sutil.
Que meu amor nela se veja,
Suave, como brisa primaveril.

De tudo que dela couber,
E o que eu possa dela descrever.
Que fale de uma mulher,
Com quem eu quero viver.

Mas as vezes não dá,
Tem horas, que a coisa não quer sair.
Tem horas, que o coração só quer calar.
Tem horas, que é aguardar ele de novo abrir.





Só de curiosidade.

4 comentários:

Majoli disse...

Oi meu querido amigo.

Linda poesia, como tudo o que poetizas...é lindo de viver.

A melodia escolhida...ah é o máximo, amo por demais, canto, canto e canto.

Beijos no teu ♥ e um delicioso final de semana.

Wanderley Elian Lima disse...

"Quando eu estiver triste , simplesmente me abrace..." . Um abraço com carinho é capaz de acabar com muita tristeza.
Abração

Cris disse...

Lindo. Lindo porque é simples, sutil...pueril. Palavras suas e tão verdadeiras. Só assim pode ser um amor de verdade, um amor que não machuque!

Um beijo pra vc e uma semana de muita paz!

brisonmattos disse...

Importante é que nunca te falte inspiração. Que a grandeza do amor sirva de alimento para mais e mais poesias como essa que voce acaba de nos ofertar com carinho.Adoro essa música tb e o clip dela é muito gracinha. 1beijo.