terça-feira, 9 de março de 2010

A Noite

A noite desce,
vem com sua mão fria
tocar meu corpo,
embalar,
para que ele possa descansar
nas suas intimidades.
Querendo que eu adormeça
para usar suas magias soníferas
e com as imagens geradas nos sonhos
distrair minha cabeça.
Deito-me em seus braços,
não reluto,
só me entrego,
para meu sonho encontrar.
Ela vem com braçadas de sonhos,
e leva vasilhas de suores.
Muda como chegou,
Calada se vai
aos primeiros raios de sol.
Deixando a mim
e meus sonhos
extasiados.

6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Entregar-se aos sonhos é viajar por mundos maravilhosos, ode tudo é possível.
Abração

Majoli disse...

Oi meu querido Older, vim te contar que estou de volta lá no Rabiscos.
Obrigada por seu carinho para comigo.

Amei sua poesia "A Noite", como sempre você me encanta com suas poesias.

Beijos com carinho meu amigo.

Lila disse...

Freud já dizia que sonhos são desejos reprimidos...mas o que realmente importa é que possamos sonhar sempre.
Bjs

Ava disse...

A noite com seus mistérios e sedução, sempre chega para nos fazer sentir os mais loucos sonhos...


Obrigada por seu carinho, moço...

Beijos meus!

Sonhadora disse...

meu querido
lindo poema, o que seria da vida sem sonhos...

Beijinhos
Sonhadora

Gisa disse...

oiee quanto tempo !! vc andava sumido (e eu tb) . OPbrigada pela visita.

... belos sonhos !!