quarta-feira, 10 de março de 2010

Doidice

Teci um sonho de quimera.
Aguardando, sempre na espera,
De que um dia na janela,
Pudesse aparecer, ela.

Quem dera!
Ela não se propusera
a ser minha donzela
e eu, só dela.

E na janela,
sempre a espera
de que minha amada bela
seja minha, e eu dela.

Deixe tudo na atmosfera.
Vamos levar isto a vera.
Tapemos esta cratera.
Formemos uma só esfera.

Juntos, só teremos primavera.
Se Deus quiser, quem dera,
mesmo morando em tapera.
Só a ela meu coração venera.

3 comentários:

Sonhadora disse...

Older
Lindo poema...adorei.

beijinhos
Sonhadora

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Older
Bom seria se todos fossem árvore do bem, espalhando o amor pelo ar.
Abração

Majoli disse...

Pôxa, essa sua poesia me fez lembrar de uma que rabisquei naqueles dias que estive ausente, vou procurar o papel pra postar o meu na janela.

Ficou linda, desculpe se sou repetitiva muitas vezes, mas muitas vezes não acho palavras pra descrever o quanto me toca o que você escreve.

Só sei dizer que amo por demais da conta ^^

Beijos de novo...rsrs