quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Tuas visitas


Corria cedo para ver se você veio,
durante anos foi assim.
Era como um mar de anseio,
um mar que não tinha fim.

E quando te via lá,
alegrava por inteiro.
Coração faz saltar,
e nas pernas um bambeio.

E o tempo foi passando,
e sua presença sumindo.
Acho que você foi enjoando,
das coisas, do que era lindo.

Hoje já quase não vens,
e a esperança se vai.
Deixo de ser refém,
daquilo que te atrai.

O mar continua revolto,
muito mais do que era antes.
Enquanto eu viro estorvo,
vou obrigado seguir adiante.

Nenhum comentário: