domingo, 7 de setembro de 2014

Lembranças do poeta




Um dia um velho poeta,
Falará aos quatro ventos.
Contara  como profeta,
Suas histórias de alentos.

Alguns pararão para ouvir,
De suas aventuras loucas.
E outros ficarão a refletir,
Porque sofrer por coisa pouca.

O velho poeta sorrirá,
E lhes dirá com orgulho.
Esta dor não vou abandonar,
Faz parte de meu embrulho.

É minha bagagem de vida,
Que eu trato com carinho.
Por mais que seja perdida,
Ela é o meu caminho.

Parar falar do que eu falo,
são nelas que me baseio.
São todas o meu regalo,
carregadas de muito anseio,

A este velho poeta,
Só sobram lembranças boas,
Histórias que não são retas,
Mas que a mim abençoa.








Um comentário:

brisonmattos disse...

A mim sobra relembrar de longe tudo isso com você.