quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Deixando de ser



Eu não vou mais te curtir,
Nem ao menos vou olhar.
Sua maneira de sorrir,
No interno vai ficar.

Não precisa excluir,
Ou só para outros mostrar.
Do seu grupo vou sumir,
Vou de vez me afastar.

A liberdade é feita,
De carinhos e atenção.
E quando a raiva se deita,
Só faz mal ao coração.

Podes ficar tranquila,
Como sempre o estivesse.
A exclusão só aniquila,
E o peito é que entristece.

Minhas coisas vou levando,
E algumas palavras tolas.
Para trás não vou olhando,
Para que sofrer a toa.

Aliás já vou sair,
Nem mais nada publicar.
Se achar que eu sumi,
É a certeza que terá.





obs.:Após uma rápida viagem fotográfica a Cuba.