sábado, 21 de abril de 2012

No Cair da Noite

É no cair da noite,
Que me escondo,
E que surge o profundo breu.

É no cair da noite,
Que vou me recompondo,
E onde encontro meu verdadeiro eu.

É no cair da noite,
Que as maravilhas se vão,
E que as fantasias vem.

É no cair da noite,
Que o sonho vira vão,
E que o amor vira refém.

É no cair da noite,
Que o vento frio me abraça,
E que me dou total absolvição.

É no cair da noite,
Que me tudo vira ameaça,
E que mato devagar meu coração.

É no cair da noite,
Quando surge nova estrela
Que mais mostro minha emoção.

É no cair da noite,
Que vejo que perdê-la,
Não era parte desta confusão.

2 comentários:

ღ ~º~ Leonor~º~ ღ disse...

Estive num blogue meu que já algum tempo não postava nada e de repente encontrei-me consigo, gostei muito do seu poema e resolvi deixar nele estas poucas mas sinceras palavras, que dom o seu desejo que tenha tudo que a mãe natureza tenha para lhe ofertar, deixo também o meu abraço de carinho com luz e muita paz...

brisonmattos disse...

é na noite que eu durmo...pra tentar esquecer toda essa coisa. Talvez não tenha inspiração para a poesia, assim como voce, mas também não sofro.Beijo de bom dia.