quarta-feira, 25 de abril de 2012

A Arte de Amar

É complicada a arte de amar,
É muito conflito.
É por horas se entregar,
por outras correr perigo.

É ir do céu ao inferno,
Em menos de um segundo.
É ferir com ferro,
É construir um mundo.

É falar que ama,
Com um simples olhar.
É deitar na cama,
E se entregar.

É uma saudade constante,
Que machuca demais.
É querer a todo instante,
Um beijo a mais.

Não suportar a distancia.
Querer pegar na mão.
Viver a eterna ânsia,
De um amor no coração.

É a noite acordar,
E ficar te olhando dormir.
É não acreditar,
Que você um dia pode sumir.

É ser um eterno amante.
É compor um cordel.
É ter o prazer constante,
De botar o amor num papel.

É se perder.
É se achar,
É sempre te querer
A para sempre me entregar.

Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

A arte de amar é esse doar constante!
Bela poesia!
Um abraço carinhoso