domingo, 29 de abril de 2012

Grácil

Parece feito de vidro,
De tão frágil que é.
Gosta de correr perigo,
Gosta de atirar no pé.

Balança feito louco,
Rodopia sem parar.
Ele por muito pouco,
Quase se fez calar.

Ele é muito insano,
E sempre me leva junto.
Eu cego o acompanho,
Neste tipo de assunto.

É difícil de achar,
Outro de modo tão pueril.
Até quando sua hora chegar,
Ele continuará infantil.

No que lhe dizem acredita
Ou no que lhe pedem para guardar.
Pensando bem nesta vida,
Acho que nunca vai mudar.

Ele é feito de mistério,
E um pouco de magia.
Acredita em despautério,
E em muita fantasia.

Parece de vidro moldado,
Pela mão de um artesão.
Quem é o grácil falado?
Este é o meu coração.

Este bicho engraçado,
É o que tenho no peito.
Apanha como coitado,
Este é seu defeito.

Pelos caminhos da vida,
Já muito viajamos
Já sofremos de ferida,
Fomos aos quatro cantos.

Eita coração palpiteiro,
Das coisa que não sabe.
Que seja eterno mensageiro,
E que Deus sempre lhe guarde.

Um comentário:

brisonmattos disse...

eu continuo odiando você, mas tenho de reconhecer...tens um talento impar para encantar com suas letrinhas. Que Deus sempre olhe por ti.