sexta-feira, 27 de abril de 2012

Grande Fardo

O amor dói.
No escuro, em silencio.
Por dentro ele corrói,
Destrói todo pensamento.

Ainda que não fosse o momento,
Ainda que não estivéssemos preparo.
Vivemos no corpo o encantamento,
Deixamos o resto de lado.

É minha cara criança,
Crescemos no calor do verão.
Por um tempo a esperança,
Tomou todo o coração.

Não conseguíamos lutar,
Nadávamos contra a correnteza.
Resolvemos nos deixar,
No escrito pela natureza.

E foram momentos de glória,
De uma vida muito intensa.
Fizemos uma linda história,
Marcamos nossa própria sentença.

De erros e saudades,
Montamos nosso castelo.
Ruiu na adversidade,
De um momento singelo.

Na chuva ficamos.
Os dois, envoltos na neblina.
Nem mais nos olhamos,
Viramos a esquina.

Já sabia o que era,
Sentir na boca o amargo.
Não sabia que quimera,
Poderia virar um grande fardo.

Tudo que for lembrado,
Ainda que por um breve momento.
Nunca será acabado,
Estará sempre vivo no pensamento.

Um comentário:

Aninha disse...

HÁ ALGUMAS CANÇÕES QUE RETRATAM E DIZ, O QUE ESTA DENTRO DE NÓS. A DOR FAZ PARTE DO AMOR, MAIS VIVER ESSA DOR POR TODA VIDA E DEIXAR DE AMAR NOVAMENTE.