sábado, 16 de outubro de 2010

Briga

Nunca serei poeta,
Serei eterno sonhador.
Tenho de sonhos a mente repleta
E o corpo coberto de dor.

A cabeça vai voando,
O corpo pesado, não acompanha.
A mão de tinta riscando,
O papel, letras que ganha.

O corpo fica parado
Esperando acontecer.
A mente busca ansiosa
O que tiver de viver.

De um lado um quer parar,
O outro só quer carmim.
É um eterno lutar,
É uma briga sem fim.

Mente e corpo,
não se entendem.
E buscando novo escopo,
Tropeçam, e ninguém se entende.

Parem de brigar,
Ambos querem prazer.
Passem a se entregar
Sem muito querer acontecer.

O que vier é lucro,
Aproveite enquanto há.
Não seja animal chucro
Que não tem onde pastar.

Se deitem no vento amigo
E vamos juntos sonhar.
Derrotemos este inimigo
Que só quer te fazer chorar.

E na paz nós ficamos,
Com o amor a conquistar.
De noite sempre sonhamos
Com aquela mulher para amar.


Um comentário:

Hanukká disse...

Olá, passei pra desejar um abençoado fim de semana e dar-te um abraço de paz.

Senhor Deus
agradeço pelos vales
por caminhar comigo neles
pela fé que me dás
pelo amor, e pela graça
Senhor Tu sabes...
mas eu sei
que em Ti posso todas as coisas
porque és Deus fiel,
força e vida vem de Ti