domingo, 7 de fevereiro de 2010

Para dona Maria
Que perturba de noite,
A tarde,
e também de dia.

Que me enche de saudade,
Que me manda andar,
Que diz que não me quer mais,
E que me chama, quase a implorar.

Que se cativa,
Que me ama.
Que me anima,
Que me encanta.

Que não vivo sem ela.
Que se esparrama.
Que me joga em esparrela.
Que me acalanta
Como só ela.

Que é bela,
e se diz feia
Que me balança
e me tonteia.

Dona Maria,
que tomou meu coração,
A ti, devolvo esta bela canção.
Desejando de alma pura
Que venhas logo
prá nova aventura.


2 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido Amigo
Linda poesia para sua D.Maria.
Adorei o poema e a musica

beijinhos
Sonhadora

Vera Costa disse...

Ê dona Maria, corre logo para os braços dessa criatura!
Beijos amigo