quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

A noite

A noite passa,
uivando,
cantando,
nos ouvidos
deste louco
o teu nome.
E eu,
me vago a sonhar,
nas noites tristes,
sem luar,
tentando te buscar no vento,
tentando te achar no ar.

E a noite passa,
uivando o teu nome,
triste fico,
e como doido
me ponho a chorar.
As lágrimas, de saudades,
Espalham-se pelo chão,
correm por meu rosto.
Como gostaria de correr para você.

E a noite passa,
uivando o teu doce nome
no ouvido deste louco.
Que só te ouve,
que só te vê.

4 comentários:

Majoli disse...

Mais uma vez me encontro em uma poesia sua...agora te pergunto, o que fazemos hein meu amigo?

Eu não tenho respostas...não as encontro, vasculho o mais profundo de meu ser e nada vem.

Ficou linda, apesar de triste.

Beijos meu amigo.

Acho que por estar de férias não teve oportunidade de ler "Coração Sem Juízo" que postei no dia 10/02...dá uma espiadinha pra você ver.

Versi D'Amori disse...

Older,

(...)
As lágrimas, de saudades,
Espalham-se pelo chão,
correm por meu rosto.
Como gostaria de correr para você.

Lindo Poema!!!Todos o são...fiquei aqui a ler-te..

Beijos,

Reggina Moon

Novo Blog:

www.versidamori.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

O amor que resiste a distância e ao silêncio
Abração

Sonhadora disse...

Meu amigo
Mais um belo poema.

E a noite passa,
uivando o teu doce nome
no ouvido deste louco.
Que só te ouve,
que só te vê.

Adorei.

beijinhos
Sonhadora