terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Embriaguez.

Em uma taça de cristal,
sorvo com ânsia,
toda a saudade minha
para nela tentar afogar
a saudade tua
que me embriaga.
Perco o norte,
nada dá mais certo.
As pernas, cambaleantes,
tentam levar o corpo
em uma direção
e meu coração
me leva para você.
Tanto pranto,
Tanto encanto,
Tanto acalanto.
É tanto, tanto,
Que já nem me levanto.
Deito,
esperando o dia
em que a luz faltará,
só assim me livrarei
das amarras que deixaste em mim.
Enquanto este dia não chega
Bebo o pranto,
Ouço o acalanto.
Sonho com o encanto.

3 comentários:

Tatinha disse...

ára... você escreve não com os dedos e sim com o coração, credoooooooooooooo.
Que coisa linda Older.
Sou muito orgulhosa de ser sua seguidora.
Beijão menino!

Wanderley Elian Lima disse...

Libertar de uma lembrança que nos atormenta, é fundamental para que possamos continuar nosso caminha em paz.
Abração

Sonhadora disse...

Meu amigo
Essa taça custa muito a esvziar.

Em uma taça de cristal,
sorvo com ânsia,
toda a saudade minha
para nela tentar afogar
a saudade tua

Muito lindo seu poema

Beijinhos
Sonhadora