terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Confusão à toa.

Quando o motivo do prazer,
O deixa de ser.
Quando o que era diversão,
Passa a ser confusão.

É hora de parar.
De dar um tempo,
Deixar a poeira assentar,
De travar este momento.

Não quero aborrecer,
E nem ser aborrecido.
Não tenho como prometer
Que de novo não será repetido.

Não controlo a vontade alheia,
Posso tentar controlar a minha.
Não vou filtrar o que permeia,
Não vou barrar abobrinhas.

Deixo tudo como está,
Nada agora posso fazer,
Só posso lamentar
O que pode acontecer.

A distância se anuncia.
As mágoas estão brotando.
Por uma culpa que não é minha
Quatro olhos, eu acho, estão chorando.

Deixo então o tempo passar.
Deixarei então a mágoa secar.
Deixo de lado meu prazer,
O prazer de te escrever.

Escrevo o que sinto,
Nada mais posso falar.
Estou andando em labirinto
Tentando o meu eu encontrar.

É amiga querida,
Passeie bem à vontade.
Receba quem te acarinha,
Distribua acessibilidade.

Estou indo dormir,
Num sono profundo entrar
Tentar me redimir.
Os erros dos outros consertar.

Cansado, o corpo bambeia,
De tanto no lombo levar.
Entrei de gaiato na peleia
E não canso de apanhar.

A culpa não é sua.
A culpa não é minha.
A culpa é maluca,
maluca que anda sozinha.

Agora me retiro,
Pedindo perdão aos demais.
Não sei mais como me refiro,
Não sei mais se sou capaz.

Vou dormir, me recolher.
Igual a urso hibernar.
Para não me fazer esquecer
O prazer que tenho em sonhar.

5 comentários:

Majoli disse...

Que triste poesia Older...se for mesmo descrição de um momento seu, eu desejo que tudo se resolva.

Fiquei triste ao te ler...eu já nem estou mais conseguindo rabiscar versos, estrofes, acho que seria repetitiva, e apenas o que me bastaria seria o nome dele chamar e saber que ele iria me escutar...

Beijos

Chá das Cinco disse...

Adorei!
As alegrias e tristezas são ganchos para ótimas poesias, a tua descreve muito bem o momento que começa o fim.

Para mim o desentendimento é um pedido de socorro, ao contrário de muitos, penso que o fim mais triste é aquele que nos pega de um dia para o outro,uma verdadeira surpresa sem marcas ou sinais.



Um grande abraço amigo
Gemária Sampaio

Luciana P. disse...

Puxa, Older, que versos lindos. Melodia pura!


Um ótima quinta pra você.

Pena disse...

Admirável Poeta Amigo:
Num delicioso poema consegue explicar tudo o que vai em si.
Significativo e profundo.
Uma sensibilidade poética soberba.
Parabéns, até na tristeza se encontra talento.
Abraço amigo de sinceridade e respeito.
Sempre a admirá-lo.

pena

Bem-Haja, precioso amigo enorme!

Majoli disse...

Older, hoje eu vim te oferecer um presente, é de ♥.
Dê uma passadinha no endereço que vou deixar logo abaixo.

Saudades de você meu amigo.
Beijos.

http://presentes-rabiscosdaalma.blogspot.com/