segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Vento da Noite





Vem com o vento da noite,
Teu nome suavemente soprado.
Perfumado pela dama da noite,
E com andar delicado.

Milhões de pensamentos,
Estouram em minha cabeça.
A sua simples presença,
É algo que não se esqueça.

Cantando um tango arrastado,
vem você lentamente.
Andando como bailado,
Flutuas toda reluzente.

Inebriado, fico tonto,
Com a visão que tenho.
Me apronto para o confronto,
Tão certo será ferrenho.

Rendido pela ansiedade,
E tomado pelo medo.
Sou um poço de saudade,
Sou parte deste enredo.

De repente tudo escurece,
E tua imagem me vai.
Meu corpo todo entristece,
A alma aos poucos me trai.

E o vento da noite sopra,
mil palavras balbuciando.
No chão, sou eu que sobra,
Chorando....chorando.

2 comentários:

brisonmattos disse...

Não fica triste.Fico tão feliz quando te sinto bem.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu amigo

Mais um belo e nostálgico poema que me tocou profundamente.

Um beijinho com carinho
Sonhadora