segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Insistente







Vive em mim, aqui dentro,
O rosto de uma dor antiga.
Por mais que eu tento,
Ela quer ser minha amiga.

Sem jamais me dar descanso,
Ela teima em se deitar.
Ao meu lado, em todo canto,
Lá vem ela me abraçar.

Em sonhos precipitada,
Se forma em linda moça.
Como figura encantada,
Vem e me beija a boca.

Em um balé inspirado,
Ela baila para mim.
No corpo tem tatuado,
Um coração carmim.

Inebriado pelo vento,
Que seu perfume trás.
Sozinho já não aguento,
E não me controlo mais.

Entrego todo o corpo,
A esta deusa bendita.
Passo a mero adorno,
Em suas mãos aflitas.

Amanheço com olhar triste,
De mais um sonho perdido.
Deixaste a quem feriste,
Quem foi por ti seduzido.

Nenhum comentário: