quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Parece mentira





Parece até mentira.
Mas um dia te encontrei.
Era noite, não era dia,
Foi assim que desejei.

Tinha muita gente na rua,
Andando, olhando o céu.
Cada um estava na sua,
E eu no fogaréu.

Um leve toque de mão,
E um abraço logo surgiu.
Não houve nenhum não,
O amor nos conduziu.

Um passeio pela praia,
E eternos sinais fechados.
Toda hora se ensaia,
Um beijo de olhos cerrados.

Os encontros foram tantos,
Que nunca chegava a enjoar.
As vezes rolava um pranto,
Que era para lembrar.

Muita felicidade é pouca,
E devemos aproveitar.
É tiro à queima-roupa,
Acerta para matar.

E matou o infinito,
Num breve de olhos  piscar.
Aquilo tudo tido,
Não podia continuar.

Cada um foi para um canto,
Rodando pelo mundo afora.
O mundo segue girando,
E o dia foi embora.

Este mundo redondinho,
Ainda vai nos encontrar.
E no meio de um estrondo,
Voltaremos a nos achar.

Nenhum comentário: