sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Sentimentos.




Reproduzir o que sinto,
Em um pedaço de papel.
É como ser extinto, 
No deserto tão cruel.

São como pedras no muro,
Formando um paredão.
São nelas que me aprumo,
Escondendo a solidão.

As ruas ficam vazias,
Pra que eu possa falar.
De todas as fantasias,
Que ainda posso sonhar.

As palavras correm soltas,
E as idéias vão na frente.
No fim sou toda envolta,
Como por forte corrente.

A distância diminui,
Entre o céu e a terra.
Donde se conclui,
Um sonho não se encerra.

Sentimentos variados,
São o que me fazem viver.
São eles os culpados,
De eu poder escrever.

Um comentário:

brisonmattos disse...

que vc se sinta sempre inspirada.Tomara nunca fosse pela solidão.