sábado, 24 de agosto de 2013

Menina da ladeira





Desce a ladeira a menina,
Balançando todo o corpo.
Como ela me fascina,
Por tão pouco, por tão pouco.

Com seu cabelo curto,
Dourados como o sol.
Deste prazer não me furto,
Sou um peixe no anzol.

E vai seguindo contente,
Espalhando o seu sorriso.
Não há quem não invente,
Um novo sonho por isto.

Menina que me enlouquece,
Como faço pra te esquecer.
Sempre que a ladeira desce,
Corro logo pra te ver.

O dia fica mais claro,
Como se tudo a volta florisse.
Nenhuma palavra eu falo,
Seria muita burrice.

Vejo meu sonho se indo,
Andando pela ladeira.
E eu, bobo, sorrindo,
A amando uma vida inteira.

Um comentário:

Um Certo Vestido Azul disse...

Eu já disse,
Aquela ladeira ainda está lá,
e aquela menina, que ainda é aquela menina ( eu tenho certeza), também deve estar por lá...
Tudo só depende de você,
mas acho que isso eu também já disse