terça-feira, 27 de agosto de 2013

Hoje





Hoje é dia de mudez,
É dia de nada falar.
É de arrepender talvez,
O que se deixou passar.

Hoje é dia de pensar,
Em tudo que aconteceu.
É dia de mais gostar,
Daquilo que se viveu.

Hoje é dia de magia,
É dia de encantamento.
É dia de nostalgia,
Que ressurge a todo momento.

Hoje é dia de cachoeira,
Rolando sem parar.
Hoje é dia de tonteira,
Que não para de rodar.

Hoje é dia de ficar,
Olhando para o longe.
Hoje é dia de lembrar,
Quanto é belo horizonte.

Hoje é dia de folia.
Hoje é dia de morrer.
Hoje é dia de sangria.
Hoje é dia de sofrer.

Que hoje logo passe,
Como fogo sobre chão.
Que hoje logo acabe,
Deixando cinzas no coração.



Nenhum comentário: