domingo, 11 de agosto de 2013

Me deixem





Simplesmente me deixem,
A beira do sonho estar.
Viver um sonho poente,
É melhor do que não sonhar.

De tarde os sinos tocam,
Anunciando o fim do dia.
Para casa todos voltam,
Menos a minha nostalgia.

O corpo bagunçado,
A alma em pequenos farrapos.
O coração é só um bagaço,
Na mente juntando pedaços.

Na boca teu nome ecoa,
Em um silencio mortal.
Nos olhos a vista voa,
Secando no vendaval.

O cinza do céu anil,
Não reflete o que eu  passo.
Coração batendo a mil,
Tentando manter compasso.

Deitado a beira do sonho,
Vou passando os dias.
Acariciando o que é tristonho.
Lavando as fantasias.


Um comentário:

brisonmattos disse...

Você tem o coração mais lindo que conheço. Deixe-me conhecer você inteiramente? Plis.