terça-feira, 12 de junho de 2012

O Nó

Era tênue o nó
Que me unia a você.
Acabei ficando só,
sem ao menos poder te ver.

Desatado este nó fraco,
Fui levado pelo vento.
Parecia até um barco,
Arrastado mar adentro.

Eu que achei que era forte,
O nó dado com magia.
Acho que foi pura sorte,
Ter durado mais de um dia.

Com o nó desfeito,
Me senti isolado.
E eu que achava perfeito,
O nó por você dado.

A corda era grossa,
O nó dado é que não.
Foi dado de maneira torta,
Sem prestar muita atenção.

A corda bate ao vento,
Sem mais nada a prender.
Não existe mais alento,
Que a faça se prender.

Um nó de marinheiro,
Era assim que eu pensava.
Mas era só um nó arteiro,
Que não prendia nada.

3 comentários:

brisonmattos disse...

sabe aquela frase
entra por um ouvido e sai pelo outro
findada essa fase
vou feliz pelo caminho solto

vc lésbica maldita
fica aí com teus nós
aqui nada mais vc apita
não existe mais o nós.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....lésbica.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....
Deixa eu rir mais um pouquinho...
De onde as pessoas tiram conclusões
tão criativas.
Esta de "lésbica" foi a melhor que
ouvi este ano meu amigo.