quarta-feira, 20 de junho de 2012

Apenas

Sou apenas o silencio,
De um quarto vazio.
Sou apenas o descenso,
De uma era de cio.

Sou apenas folha morta,
Espalhada pelo chão.
Sou apenas figura torta,
Sem cara, sem coração.

Sou apenas lembrança vaga,
Que insiste em se mostrar.
Sou apenas mais uma estátua,
No jardim a enfeitar.

Sou apenas dia que passa,
Com uma rotina constante.
Sou apenas cão sem raça,
Acompanhando um migrante.

Já fui céu. Já fui luar.
Já fui fonte de prazer.
Já fiz rir. Já fiz chorar.
chorei muito por você.

Um comentário:

brisonmattos disse...

tb já chorei muito por você.Bela poesia!