domingo, 24 de junho de 2012

Mais Um dia

Mais um dia se vai,
Na vida de um alguém.
Mais um pouco se esvai,
A idade que não se tem.

Pela janela da alma,
Vejo o dia esmorecer.
O sol se põe com calma,
Não querendo se esconder.

A lua já se faz,
Notar em pleno céu.
O dia ficou para trás,
Um amor ficou ao léu.

Não devia ser assim,
E sim eternizar.
O amor que há em mim,
Não devia se acabar.

Mas como passam os dias,
O amor também se deita.
Se esconde em nostalgias,
E na lembrança se deixa.

Não tem o brilho da lua,
Que reflete o sol eterno.
Somente a alma nua,
Caminha para o inferno.

Surge a escuridão,
Que amedronta até o valente.
Por mais que se diga não,
O corpo fica carente.

Esperar um novo dia,
que venha um sol brilhar.
Estancar a maldita sangria,
Não mais o paraíso olhar.

Mais um dia passado,
Na vida de tanta gente.
Mais um coração calado,
Mais um corpo doente.

Um comentário:

brisonmattos disse...

calado porque quer, e doente por consequência desse querer.