quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Não espere



Não aguarde o entardecer
Para sonhar com a noite
Você pode se arrepender
E o sonho virar açoite

Não engarrafe sonho
Como se fosse vinho
Poderá virar sonho medonho
Ou enfeite de azevinho

Sonhos devem ser vividos
Com total intensidade
Deve de sonho ser abastecido
O amor de uma saudade

Não espere um sonho ter
De um lugar programado
Os sonhos são ilusões a fazer

De um coração apaixonado

Um comentário:

Maria Rodrigues disse...

Podemos sonhar mas o importante é viver o presente.
Lindo poema
Um abraço
Maria