terça-feira, 3 de novembro de 2015

Despedida, mais uma.







Nas rimas de partida
Vou me despedindo de ti
Afinal não cabe na vida
Sofrer e só assistir

Nestas linhas eu me vou
Te deixando livre de vez
Livre eu não estou
Perdido no mar de tua tez

Vou levando o que posso
E o que não posso também
Vou levando o que é nosso
Que foi deixado por desdém

O mundo agora é seu
Para viver o que quiser
O mundo que é meu
Enfeito como Deus quer

2 comentários:

brisonmattos disse...

Não é desdém
Ou desamor
É um porem
Pra não ter dor

brisonmattos disse...

Eeu só me despeço quando for a hora. Chato isso de ficar se despedindo aos poucos. Eu hein!