sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A Teia






Há uma teia traçada
Em todo meu pensamento
Uma teia de nada
Paralisando meu momento

É uma teia confusa
Cheia de pontos e nós
É uma teia difusa
Repleta de somos sós

De colorido cinzento
Cercada de muito veneno
Uma teia sem movimento
Nem um pequeno aceno

Nela me vi enroscado
Como isca para a devora
Atada por mil laços
Só uma mão que implora

A pele ainda  sinto
e vejo alguma luz
Para mim mesmo eu minto
com algo que me seduz

Nenhum comentário: