quarta-feira, 25 de maio de 2011

Não !

Não!
Não vos darei o gosto de atingir o que tenho de mais puro em mim,
pois atingindo minha dignidade estarás oprimindo meu coração.

Não!
Não vos darei o prazer de me ferir,
pois ferindo minhas palavras estarás ferindo também meus olhos.

Não!
Não vos darei o suave veneno da desforra,
pois deste veneno morrerá vós e não a quem vos respeita.

Não !
Não vos darei o direito de balbuciar palavras indignas,
pois poderás manchar o chão em que caminho e que prezo tanto.

Não !
Não vos darei o meu ser,
pois meu ser, meu respeito, meu carinho, minha dedicação são somente dos que são dignos de esterem na presença um do outro e não se envergonharem do que dizem ou falem.

Não !
Não vos darei nada,
pois não és merecedor de mais infima poeira de agrado ou respeito.

Não !
Nada mais restará para ti, além da ingratidão da incompreensão humana.

Nenhum comentário: