quinta-feira, 10 de junho de 2010

Saudade

Visto meu manto.
Preparo meu pranto.
Não tenho acalanto,
e já se vai o encanto.

Dor e Sofrimento.
Angustia e tormento.
Saudade de sentimento.
Não há lágrimas no lamento.

Coração dormindo,
O corpo sorrindo.
Sigo mentindo,
A alma esvaindo.

Busco um conto
Que no fim tenha um ponto.
Fico meio que tonto ,
Não o acho, me desaponto.

Não há assunto,
Só o vazio do conjunto.
Quando não estamos junto,
Os fragmentos rejunto.

2 comentários:

Mulher na Polícia disse...

Estou vivendo um conto assim, mas não quero ponto final, não...

Beijinho!

Majoli disse...

Oi Older....tem um samba do Martinho da Vila que diz assim:
"Eu não vou na sua casa pra você não ir na minha.."...rsrs.

Mas posso vir aqui na sua casa, mesmo você não indo a minha?

Eu adoro o seu poetar, venho, leio e fico com vontade de comentar...^^

"De Você"
"Sossegai"
"Saudade"

Cada uma mais linda que a outra, você é um lindo poeta.

Adoro suas rimas, seu jeito gostoso de poetizar.
Te tenho como um amigo especial.

Voltarei, pode?...rsrs.

Tenha um bom final de semana.
Beijos com carinho.