segunda-feira, 28 de junho de 2010

Não Sei

Não sei o que escrever
Neste meu poema, de lazer.

A natureza age por si
Deixando no papel, palavras cair.

O vento traz a lembrança,
De um tempo, em que não mais sou criança,

Um tempo complicado,
De não poder estar ao teu lado.

Não sei o que dizer,
Neste meu poema, de prazer.

Afogo minhas palavras no asfalto,
Por onde todos passam apressados,

Cada qual, com seu sobressalto,
Cada qual, um ser derrotado.

Um ser distraído.
Um ser mal dormido.

Nem sei mais do que falar,
Neste meu poema, de sonhar.

Enfio os pés pelas mãos,
Atropelo a emoção.

Ouço a menina cantar,
Mas onde, o canto procurar?

Perdido no que dizer.
Perdido por onde olhar.

Nem sei mais de nada,
Neste meu poema, de cantata.

Nem meu nome sei mais,
Só sei, do que estou atrás.

Busco a paz e a harmonia.
Busco o amor e a fantasia.

Sonho...com poesia,
E te ter sempre, na alma minha.


Setembro (Amada) Ivan Lins, Gilson Peranzzeta e Vitor Martins

Um comentário:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Mais um belo poema, adorei.
E belas músicas.
beijinhos com carinho

Sonhadora