segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Suponha

Suponha, um dia sem sol,
sem um céu azul, sem nuvens.
Um rio sem água
a correr para o mar.
Um homem,
sem o amor de uma mulher
ou vice-versa.
Uma pessoa que nunca conheceu
o que é o amor.

Suponha, só suponha,
uma criança sem sorriso,
sem um lugar para brincar.
Um pássaro sem canto e sem asas para voar.
Um cão sem rabo a nos abanar.
Uma primavera sem flores
a nos perfumar.

Suponha,
um filho sem pai, um pai sem filho,
ambos abandonados a própria sorte
ao Deus dará.
Um amor sem lágrimas,
sem abraços e sem saudades
ou alguma dor a amargurar vez por outra
para dar-lhe o definido valor.

Suponha, só suponha,
Um beijo sem rosto,
um amor sem volta,
uma vida sem esperanças
e sem chocolate.
Um dia sem ter razão para viver.
Um dia sem a sua razão de viver.
Um dia todo triste.

Suponha,
um dia muito nublado,
com muita chuva, raios e trovões.
Uma rua cheia de carros barulhentos.
Uma pessoa abandonada, solitária,
no meio da multidão.
Um prato vazio, um copo seco.
Razões que existem
onde não podem existir.

Suponha..... só suponha.
Como seria minha vida
sem você.

Nenhum comentário: