quarta-feira, 29 de maio de 2013

Palhaço Poeta





Sou um palhaço poeta,
Que nas letras se diverte.
E como palhaço que se preza,
Fora do palco se entristece.

Não queria ser assim,
Alegrias só nas letras.
Quero muito viver sim,
As alegrias e suas tretas.

Só no palco iluminado,
Deste circo que é a vida.
Sou um ser engraçado,
Brigando com minhas brigas.

De cara pintada,
Para esconder solidão.
Faço show na calçada,
Sou vivo como vulcão.

Quando espetáculo termina,
E todos vão embora.
O palhaço, menina,
Senta no canto e chora.

Um comentário:

Majoli disse...

Older, brigadinha pelo carinho de sua visita lá no rabiscos e pelas palavras deixadas.

Fico sempre ausente daqui, mas agora aproveitei para ler alguns poemas seus.
Continua escrevendo lindamente, cheio de rimas (coisa que adoro).

Palhaço Poeta é triste, mas é realidade de tantas pessoas.

Beijos.