segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Vazio

Não me mate,
A sangue frio.
Não se acabe,
como se fosse rio.

Não se cale,
No desafio.
Não me fale,
No desvario.

Não desarme,
No balbucio.
Não desfalque,
No rodopio.

Não maltrate,
em tanto frio.
Me arrecade,
Do baldio.

Vá a Marte,
No arrepio.
Não se parte,
No doentio.

Tu deixaste,
Um calafrio.
Me jogaste,
No arredio.

A vida é arte,
Do assovio.
Não faz parte,
Viver no fio.(da navalha)

Nenhum comentário: