sábado, 19 de dezembro de 2009

Divagando

Divagar, devagar
Com as divagações
e seguir devagar,
nas divagações.

Conversas sem nexo,
Pensamentos sem reflexos,
Deixam desconexo
Um coração anoréxico.

Precisa sonhar,
Este coração,
Precisa amar,
Sempre com paixão.

Não é o sexo,
Que me deixa disléxico
Neste mundo complexo,
e patético.

É sua falta constante,
O vazio deixado,
Nesta alma errante,
Nesta corpo acabado.

A alma evapora.
A choro desce.
das noites a aurora
só esvaece.

Paro de falar.
Não quero mais pensar.
Queria acabar
Com todo divagar.

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Older,

Por vezes é essencial esse "divagar" a todos, especialmente aos poetas, que se inspiram e escrevem tantas maravilhas...Parabéns!

Ótimo início de semana de festas!

Venha visitar:

www.versoeprosapoemas.blogspot.com

Beijos,

Reggina Moon

Simplesmente Outono disse...

Passo para desejar um Natal na magnitude do teu mereciemento.

Desejo ainda que 2010 seja um ano repleto de sonhos realizados, de amizades fortalecidas, de amores vividos.

Permaneço afastada das letras por motivos que indepedem da minha vontade.

"É impressionante a força que as coisas parecem ter quando elas precisam acontecer". Permeada verdade com uma intensidade que jamais pensei suportar.

Deixo-te minhas folhas com o mesmo carinho de sempre ressaltando a saudade do nosso contato.

Simplesmente Outono.