sábado, 12 de dezembro de 2009

Cura

Estou doente e nem me dei conta, sentia-a me desanimado, sem forças quase para fazer nada do que era necessário.

Estava me entregando ao meu próprio destino final, aos poucos sentia-me esvaziado, um buraco ia surgindo no peito e aumentando a cada novo dia.

Corroendo, sangrando lentamente, tão lentamente que eu mesmo não me dava conta do que acontecia.

Um dia, sem que eu esperasse, passei mal e fui levado para um hospital.

Eu nem sentia muito bem o meu corpo, parecia meio que anestesiado.

Estava muito sonolento e nada via direito.

Quando um médico, todo de branco, se aproximou, pegou meu braço, me olhou nos olhos e disse:

“- Calma, isto tudo vai passar.”

Depois ele me injetou uma droga, desconhecida para mim, se já fiz uso dela nem me lembrava mais.

Ao terminar a injeção da tal droga, senti um pequeno estímulo, mas eu estava tão enfraquecido, tão longe de mim, que o efeito foi passageiro.

Tentei ver seu nome, mas a vista embaralhada pela minha fraqueza nem me deixava raciocinar direito, o pequeno efeito estimulante desta droga não me permitia distinguir quase nada, era algo como roma, ramo, mora, maro, arom, oram, eu não conseguir ver as letras direito.

Pedi ao médico, que me aplicasse outra dose, mas ele disse que as doses seriam diárias e pequenas para fazer com que meu corpo se acostumasse com a tal droga e que pudesse absorver aos poucos seus efeitos sem causar nem dano maior.

E foram tantas injeções diárias que o meu corpo começou a reagir a doença que se instalava, e me foi voltando a vida enfim.

Os efeitos alienantes que esta tal droga causava foram sendo aos poucos absorvidos pelo meu corpo e mente.

Depois de muito tempo e de tantas aplicações da tal droga desconhecida, pois nunca me deixaram ver o vidro e nem o que estava escrito lá corretamente, é que por descuido dos médicos conseguir ler e lá estava escrito, e a surpresa foi enorme quando li que no no tal vidro, estava escrito:
[“AMOR”, cuidado ao manuseá-lo.]

Era amor que me injetavam constantemente, então era isto que me estimulava e que teria de fazer com que meu corpo e mente novamente se acostumassem com ele.

Conversei com o médico, verdadeiro anjo mandado dos céus, como faria para depois de ter alta continuar com o tratamento que estava dando tão certo comigo.

Procurei saber, e depois como o conseguiria o vidro da droga? Onde o compraria?

E o médico disse:

“- Isto não se compra, isto só pode ser doado para os pacientes que necessitam muito dele.”

Eu então, na minha ansiedade e curiosidade perguntei:

“Onde vocês o conseguiram?”

Ele deu um leve sorriso, e disse:

“- No seu caso, ocorreram várias doações. Vieram de amigos, de familiares, até de pessoas que nunca te viram, ou te conheciam antes, e resolveram doar. Pessoas que nem te conhecem, só falaram por telefone com você ou que te conheceram a pouco tempo, também quiseram fazer esta doação. Pessoas que só de te olhar, uma vez apenas, também quiseram doar para você. Pessoas que nem aqui vieram e mandaram da distância de onde elas estavam, mas seu principal doador foi Deus e você mesmo. Você resolveu doar o amor que você achava que tinha perdido, que estava escondido dentro de você. Você resolveu abrir seu coração e com a interferência de Deus, doar o amor que você achava que tinha perdido.”

Uma pequena lágrima rolou de meus olhos e o médico disse:

“ Está vendo ! Esta pequenina lágrima é um sinal de que o seu amor pela vida voltou.”

Ele já ia se retirando, quando o chamei e lhe disse:

“ Doutor, por favor, o senhor está cuidando de mim a tanto tempo e nem ao menos sei seu nome, só sei que o senhor é um verdadeiro anjo. Qual seu nome?”

Mais uma vê ele sorriu levemente, parecia iluminado, por uma luz muito branca e forte, e disse:

“- Meu nome? Meu nome é Gabriel.”

E assim ele falou, e depois sumiu no corredor longo e iluminado, cantarolando uma canção suave e com a certeza de que mais uma cura ele tinha conseguido com a ajuda de Deus.

6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Que texto lindo e comovente. Realmente o amor tem o poder de cura.
Um ótimo fim de semana
Abração

Eliana Pessoa disse...

Texto maravilhoso DEUS está sempre conosco ,mesmo quando achamos que estamos sozinhos.Older viva intensamente um dia de cada vêz!!!
beijos !

p.s.(gostaria de ver vc no meu quadrinho de seguidores pode ser?)

Vivian disse...

...ai que coisa mais linda!!!

que felicidade estar aqui
lendo teu texto chamado
AMOR!

Amor sim...
porque somente quem tem dentro
de sí este nobre sentimento,
é capaz de encantar assim.

um beijo, querido lindo!

Tatinha disse...

Aiii amigo,
Já que esta droga não é vendida, o que faço para me curar???????????????
Que belo texto menino!
Beijos e muito amor para você.

Tânia disse...

Older...foi inevitável que lágrimas corressem dos meus olhos agora, lendo estas linhas.
Você é uma pessoa iluminada por acreditar no Amor e conseguir expressar através de palavras sentimentos tão puros, alicerces desta inspiração divina.
Que Deus, como quer que você o conceba, e seu Protetor estejam sempre ao teu lado, e que você possa absorver todas as orações, vibrações e carinho das centenas, milhares de pessoas que conquistou, apenas por ser a pessoa maravilhosa que é!
O que Ele quis que você aprendesse com mais esta experiência, só você vai descobrir, e certamente é uma pessoa muito melhor agora.
Te cuida!
Minhas melhores e maiores vibrações por ti!
Beijão, meu querido Amigo!

Mariana disse...

Belo o texto, no inicio da leitura eu me preocupei, depois senti alívio.
Se o amor fosse maior nos corações, o mundo seria melhor.
Beijos com o desejo de uma bela tarde.