domingo, 28 de julho de 2013

Procurando





Aos olhos dela,
Eu era ilusão.
Era uma coisa bela,
Se deixava em minha mão.

Eu, por  minha vez,
Era só encanto.
Não existia o talvez,
Era a certeza, garanto.

Em  nossos caminhos,
Cruzados pelo encontro.
Foram acabando os espinhos,
Foi virando mais um conto.

Até um certo tempo,
As distancias não importavam.
Era fácil, em um momento,
Nossos corpos se achavam.

Mas a idade tem seu preço,
E o problema se acumula.
O que era o recomeço,
Virou fonte de amargura.

Hoje a distancia se coloca,
Como maior dos empecilhos.
Por mais que a cabeça desloca,
O corpo não entra nos trilhos.

Convivo com a imagem,
De quem era pura candura.
Fazer outra vez a viagem,
Só mesmo a saudade procura.

Nenhum comentário: