segunda-feira, 22 de julho de 2013

Aventuras





As palavras eu costuro,
Como se fossem retalhos.
Mesmo assim no escuro,
Como se fossem ato falho.

Como barro vou moldando,
Tentando dar-lhes forma.
Novo mundo se criando,
ou o velho se transforma.

Falando do que passei,
ou do que ainda passo.
Eu mesmo já não sei,
se sou um nó ou sou um laço.

Vou vivendo esta aventura,
pelos traços traçados na vida.
Se ela é minha ou é tua,
fica para depois a decidida.

E nestas pequenas estruturas,
montadas pelo acaso.
Falo de algumas amarguras,
superadas a cada passo.

E a vontade ainda crua,
desta aventura viver.
Vou buscando pela rua,
um eu ou um você.

3 comentários:

brisonmattos disse...

Não há palavra que explique
o que acontece no momento
e vc, mesmo que se estique
Deixa dúvidas do sentimento

O jeito é curtir a vida
passo a passo lentamente
Mesmo que as vezes contida
aproveite tudo serenamente

Aproveito o seu cantinho
pra deixar um recadinho
Um dia vc foste o meu benzinho
to te tirando de mim devagarinho.

brisonmattos disse...

tu foste...corrigindo

brisonmattos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.