sexta-feira, 26 de julho de 2013

Infindo




Se um dia na vida,
Saudades você sentir.
É quem deveria estar de partida,
Nunca deixou de existir.

É constante presença,
Guardada com muito carinho.
Como marca de nascença,
Não te deixa nem um pouquinho.

Por mais que se queira,
Deixar a vontade de lado.
É difícil sair da beira,
De um amor encontrado.

As vezes até não pensamos,
Como forma de esquecer.
É aí que nos enganamos,
A saudade  só faz crescer.

Então deixo de crescer,
Cuido dela com carinho.
Se eu me arrepender,
È só chorar baixinho.

Saudade é abraço constante,
De alguém que não está.
É como amor errante,
Que não se quer largar.

Saudade é amor doído,
É lágrima que não secou.
Saudade é prazer sofrido,
É amor que não findou.

Nenhum comentário: