terça-feira, 4 de junho de 2013

Noite de Loucura





A noite me beija,
Com sua fria boca.
É o que se deseja,
Nesta aventura louca.

O ventre arfa nervoso,
Imaginando o que não seria.
Mas seria muito pouco,
Comparado ao que poderia.

Deixo soltos meus lábios,
Que estão a procura dos seus.
Conhecido só pelos sábios,
Este caminho não são os meus.

A noite meu sonho trás,
Recheado de loucuras.
Nem  menos, nem mais,
Na medida da sua ternura.

Minha nudez disfarçada,
Embola na tua nudez.
Agora não há mais nada,
Só muita insensatez.

E de loucuras eu vivo,
Apenas  nestes momentos.
Também eu nem ligo,
Afasta os meus tormentos.

Um comentário:

Um certo vestido azul disse...

Eu também não ligo não...