sábado, 15 de junho de 2013

Desconjuro !



Vivo o que é meu,
E ninguém tem nada com isto.
Se o que vivo lhe doeu,
Viva então seu paraíso.

Pare de reclamar,
Das reclamações alheias.
Se não só faz bufar,
Em tempestade de areia.

Já me enche a paciência,
Ouvir o que não quero.
Vá viver sua demência,
Que na minha me desespero.

Agora me faça um favor,
E siga o seu caminho.
Deixe o meu onde for,
Que eu me viro sozinho.

Se não gosta do que vê,
feche bem os olhos seus.
Agora vai se ..............
que me "ferro" com os meus.


Desculpem, mas tem hora que é a calma vai embora.

Um comentário:

brisonmattos disse...

kkkkkkkkkkk.
hehrhhehehe
hihihihi
dormiu com a bunda virada pra lua, né?
Tenha um lindddddddddooooo final de semana.