sábado, 8 de junho de 2013

Enfim




Relembro tanto,
em todos os momentos.
Nossos passos perdidos,
afastados pelo tempo.

Tentando não conhecer,
a imoral razão.
Encontro você perdida,
numa forma de canção.

Tatuada em meu peito,
em que não podes sair.
Amarrada com meu jeito,
motivada sem sentir.

Ofereço o meu leito,
sonhadora está por vir.
Coração saltita no peito,
quase querendo fugir.

E assim conta a história,
mais ou menos como era.
Dois amores na memória
em um mundo de espera.

Procurados pela vida,
no amor relembrados.
Vivendo um amor de ida,
que nunca foi apagado.

 Enfim......


Um comentário:

Um Certo Vestido Azul disse...

Enfim...o que?