quinta-feira, 31 de maio de 2012

Mundo Mudo

O mundo amanheceu mudo,
E eu não entendi.
Era o fim de tudo,
Foi então que percebi.

As flores não tinham perfume,
As cores eram pálidas.
O gosto era azedume,
A mão já não era cálida.

Um nó na garganta,
E um aperto no peito.
Não adianta chorar,
O que está feito, esta feito.

Muitas águas vão passar,
Por debaixo desta ponte.
A cabeça levantar,
E olhar para o longe.

O perto já se foi,
Na calada madrugada.
Não deixou nem um “Oi”,
E nem disse mais nada.

Um comentário:

brisonmattos disse...

ainda bem que amanheceu de novo. Temos a oportunidade de fazer tudo diferente se quisermos.Bom dia proce tb.