terça-feira, 1 de maio de 2012

Indelével

Não consigo te esquecer,
Por mais que tente.
Não terá um jeito de te desprender,
Sem que eu me arrebente?

Cada vez que tento te retirar,
Você crava suas unhas e dentes.
Rasga até muito sangrar,
Que quase me deixa doente.

E sangra o peito,
A alma fica vazia.
Este é o efeito,
De toda sua magia.

Queria ter no peito,
Uma pedra do minério mais duro.
Assim não sentiria o efeito,
De sofrer com este absurdo.

Não teria o desprazer,
Desse efeito tão louco.
E te ver desaparecer,
Assim, por tão pouco.

Fica cada vez mais enraizada,
A tua branda saudade.
Nunca será apagada,
Nem em toda eternidade.

Um comentário:

brisonmattos disse...

amor não faz sofrer desse jeito
nesse absurdo de enraizar
Não é pra doer no peito
Por amor era pra só amar