sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Desejos

Quero sair de minha pele,
Deste embalagem de carne.
Quero ser o que se revele,
Quero ser, ser que parte.

Quero ser chuva de temporal,
Água que tudo inunda.
Quero ser canto madrigal
Que a noite já vai profunda.

Não quero ser só lembrança,
Não quero ser só um momento.
Quero ter muita esperança,
Quero beijo mensageiro.

Quero ser saudade,
Que arde só um pouco.
Quero ser insanidade,
Ou sanidade na cabeço do louco.

Quero ser vestido de festa,
Maquiagem de palhaço.
Quero ser o que não presta.
Quero ser estardalhaço.

Quero ser tiro de canhão,
Que de longe se escuta.
Quero ser a união,
E não um ponto de disputa.

Quero ser rosa vermelha,
Com perfume enlouquecedor.
Quero ser bebida que tonteia,
No momento do amor.

Quero dama-da-noite ser,
Que doce perfume espalha no ar.
Quero ser entardecer,
Com lua cheia a chegar.

Quero ser ladeira íngreme,
Para que possas em mim subir devagar.
Quero ser amor que vingue
Para nele perpetuar.

Quero ser montanha nevada,
Quero ser jardineira florida.
Quero teu amor de madrugada,
Minha amada muito querida.


Sinto muito...

Um comentário:

Cris disse...

Oler Querido, o que vale é o sonho e o que é o sonho senão desejar?
E quem disse que o sonho é impossível?
Só quem não acredita na vida.
Algumas vezes, machucmos sem querer. O importante, como diz na música é reconhecer, saber o "estrago" que fizemos e dizer: desculpa, eu não sabia, foi sem querer e ainda te amo.....rs

Um beijo grande. Fique bem!